Partidos e achados
Nuno Rogeiro
16 de fevereiro de 2020

Partidos e achados

Há boatos que correm, há rumores que andam. Sobre as verdadeiras-falsas candidaturas presidenciais, sobre o estado clínico dos partidos, sobre as crises que nos podem transformar. “Ninguém sabe que coisa quer.” Ou sabe?

As eleições presidenciais portuguesas serão daqui a exatamente um ano.
Apesar de a tradição nos mostrar um cargo com poucos poderes efetivamente assumidos, a verdade é que as competências não mudaram. Em situações de crise grave, a chefia do Estado pode trazer estabilidade, negociação, moderação, clarificação e, se necessário, pressão e intervenção saneadoras.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Tópicos Nuno Rogeiro 824
Opinião Ver mais