O nosso cheiro
João Pedro George
18 de abril

O nosso cheiro

O mau cheiro dos outros, que nos atinge como um soco na cara, sem qualquer possibilidade de defesa, é uma força poderosa e sem contemplações, como a kryptonita para o Super-Homem.

A questão social não é apenas uma questão de política, de economia ou de ética. É também uma questão de cheiros.

Nas relações entre as pessoas, os cheiros desempenham um papel bem mais importante do que alguns pensam.

As moléculas de odor que pairam no ar à volta das pessoas - cada ser humano transporta consigo um cheiro característico - são factores de aproximação, mas também de distanciamento social, tanto podem ser motivo de atracção como de repulsa.
Os cheiros podem ligar o que está separado e separar o que está ligado. Podem unificar ou desagregar, reunir ou dissociar, estabelecer uma ponte ou erguer uma muralha que delimita as sociabilidades mundanas.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Opinião Ver mais