'Aqui há Rato', por João Pedro George
João Pedro George
10 de julho de 2020

"Aqui há Rato", por João Pedro George

Ficamos sem perceber porque é que Rita Rato foi escolhida face a outros candidatos com qualificações e competências técnicas específicas para o cargo de director de Museu do Aljube.


Os moldes em que se processou a decisão da EGEAC de escolher Rita Rato para a direcção do Museu do Aljube vêm agravar a descrença das pessoas nas políticas de renovação e enviam uma mensagem terrível: por mais que nos empenhemos, por mais que estudemos, por mais que trabalhemos, se não possuirmos cartão de militante (do PCP ou de outro partido qualquer) ou não pertencermos aos grupos certos, dificilmente veremos os nossos esforços, a nossa persistência, o nosso afinco, a nossa tenacidade e os nossos méritos compensados.

Rita Rato tinha todo o direito de concorrer para o cargo de directora do Museu do Aljube, nem tenho razões para duvidar da capacidade de trabalho que demonstrou como deputada. A questão é que, olhando para o seu percurso, onde não encontramos uma única ideia sobre museologia, história ou usos do passado, nem nada que se aproxime do trabalho de programação cultural, entre outras ausências flagrantes, ficamos sem perceber porque é que ela foi escolhida face a outros candidatos com qualificações e competências técnicas específicas para o cargo de director de Museu do Aljube.



Tanto isto é assim que até a presidente do comité português do Conselho Internacional dos Museus (ICOM-Portugal), Maria de Jesus Monge, se mostrou perplexa com a escolha de Rita Rato, porque – cito – "não apresenta o perfil adequado". Segundo esta especialista, "formação na área e perfil profissional são essenciais para o cargo de direcção de um museu, que precisa de conhecer as condições do meio e deter competências técnicas que vão fazer falta". De facto, as qualificações e as competências técnicas, assumem aqui particular relevância, pois são elas que abonam a favor das aptidões e do know-how dos candidatos para aplicar os projectos que o museu irá desenvolver no futuro.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Opinião Ver mais