A política dos prémios
João Pedro George
11 de novembro de 2020

A política dos prémios

Não adianta enrolar a incómoda questão: Aguiar e Silva sustentava que a Universidade se devia manter uma instituição restrita, elitista, limitada apenas a meia dúzia de eleitos.

Há quem pense que os prémios podem ser apreciados em abstracto, sem estabelecer quaisquer correlações com o complexo de factores históricos e sociais. Suficientemente ingénuos para acreditar que os bebés vêm de Paris, imaginam que os prémios são atribuídos exclusivamente por razões de mérito ou grandeza intelectual, pretendem que é possível alhearmo-nos das cogitações políticas e económicas que os determinam.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Opinião Ver mais