Instantâneos ou quase (46)
António José Vilela Diretor-adjunto
01 de maio

Instantâneos ou quase (46)

Os professores universitários e os advogados exigem ser vacinados. Dizem que é uma questão de justiça por causa dos colegas do secundário, que os tribunais são locais perigosos e blá-blá-blá. Era bom que fossem empregados de supermercado só por um dia.

Bom exemplo
O antigo Presidente da República, Ramalho Eanes, comporta-se com uma dignidade pouco vista na política portuguesa. Nas entrevistas, nos comentários e nas aparições oficiais como no último 25 de Abril. Cavaco Silva não é assim.

Mau exemplo
Os professores universitários e os advogados exigem ser vacinados. Dizem que é uma questão de justiça por causa dos colegas do secundário, que os tribunais são locais perigosos e blá-blá-blá. Era bom que fossem empregados de supermercado só por um dia.

O iluminado
Deu a José António Saraiva para perorar no (Nascer do) Sol sobre o preço dos jornais. Foram duas páginas justificadas assim logo no início: "O problema é que eu tenho de encher este espaço todas as semanas, o que não é fácil."

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Opinião Ver mais