Um arraial chamado Portugal
Paula Cordeiro
15 de junho

Um arraial chamado Portugal

O que nos faz estar desta forma, dormentes, tão (in)tolerantemente tolerantes, fazendo a revolução onde ninguém dá por ela, ou seja, nos comentários das redes sociais?

Eu sei. Título fácil, provavelmente já nem apela ao clique, de tão banal, assumido como normal, num texto que é tudo, menos política liberal. Um fim de semana em cheio para manchetes vazias de conteúdo e um arraial porrada em cima de quem ousou brincar aos arraiais. Há uma ou duas semanas disse aqui que não iria comentar a actualidade e não o vou fazer. Independentemente de cores políticas, é ignóbil o que se passa neste país, na complacência dos que esperam para apanhar os cacos do momento destrutivo que atravessamos, enquanto outros se comentam entre si, numa endogamia comentarista de registo quase anedótico ao comentário profissional. 

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui