Tendências de agosto: explicar, sempre
Paula Cordeiro
25 de agosto

Tendências de agosto: explicar, sempre

Como o Afeganistão, há conflitos armados que se arrastam há tanto tempo que lhes perdemos o rasto e a origem pelo que, quando quando situações como esta eclodem, ficamos pela rama, sem compreender, de facto, o que se passa.

Um pouco por toda a parte os sinais indicam-nos que é tempo de fugir, mas como não sabemos para onde, nem temos como fugir, procuramos escape na TV ou nas redes sociais. Tenho momentos em que não consigo - ou não quero, já nem sei - entender esta natural tendência escapista da realidade - que sempre existiu e as redes sociais ampliaram - como se, no final do escape, não voltássemos ao que nos fez querer escapar. Seria melhor mudar. Actuar para mudar. Procurar mudar.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui