E se, um dia, a Internet explodir?
Paula Cordeiro
07 de dezembro de 2021

E se, um dia, a Internet explodir?

Longe vão os tempos em que dávamos um toque para avisar que tínhamos chegado (para quê gastar uma chamada se podíamos anunciar a nossa presença de outra forma).

Há dias conversava com uma amiga que me falava na possibilidade da Internet explodir. Lera um artigo no New York Post sobre um potencial apocalipse que me fez pensar, uma vez mais, sobre a nossa dependência em relação à Internet. Desde que continue a ter acesso ao serviço de streaming, está tudo bem, afirmou. E eu pensei que, de facto, a maior parte do nosso dia é passado online ou utilizando ferramentas que nos ligam, e que se ligam entre si, através da Internet. Lembro-me de ter afirmado que passaria muito bem sem Internet quando, na verdade, estava a pensar que passaria muito bem sem social media e redes sociais. O que não é o mesmo que passar uns dias sem Internet porque percebi, nesse momento, como dependemos deste acesso para o quotidiano banal. Da actualização do software para o robot de cozinha funcionar, ou das respectivas receitas para cozinhar, ao robot que aspira a casa, temos muitos dispositivos em casa que funcionam em rede e ligados à rede, da mesma forma que, quando saímos de casa, ferramentas como os mapas ou aplicações com informação sobre trânsito, transportes ou para chamar um veículo para nos transportar, já fazem parte da vida de todos os dias.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui