Reino Unido de fora. E agora?
Francisco Pinheiro Catalão
27 de junho de 2016

Reino Unido de fora. E agora?

Os ingleses votaram favoravelmente a saída da União Europeia (UE), o que significa que entramos num novo e desconhecido mundo

Os ingleses votaram favoravelmente a saída da União Europeia (UE), o que significa que entramos num novo e desconhecido mundo. De um ponto de vista político, mas também do ponto de vista dos mercados financeiros, este resultado tem muitas implicações, algumas mesmo imprevisíveis, já que ficará demostrado que a saída de um Estado-Membro é possível do actual contexto comunitário. Esta questão levará a que se deva colocar na ordem do dia a própria sobrevivência da UE no longo-prazo.

A forma como os responsáveis da UE e do eixo Paris-Berlim reagirem a esta votação irá ditar as nossas vidas nos próximos anos, para o bem e para o mal. O sentimento euro-céptico tem crescido em vários países e não apenas no Reino Unido. A capacidade dos eurocratas darem respostas credíveis a problemas como a desigualdade social, o baixo crescimento económico, o desemprego, a crise dos refugiados e a falta de cultura democrática das instituições europeias será um teste decisivo para o presente que conhecemos hoje e o futuro que queremos construir.

De qualquer forma, este resultado não pode ser entendido como uma completa surpresa pelos nossos decisores políticos (nacionais e europeus) já que reflecte aquilo que tem sido um sentimento crescente no seio da união. Dizer que é uma surpresa é assumir um nível de ignorância não desejável em quem nos governa.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login