Negócios secretos e luxos dos acusados na Operação Marquês
João Carlos Silva Director Adjunto
18 de abril de 2018

Negócios secretos e luxos dos acusados na Operação Marquês

No tema de capa desta semana, um olhar sobre o dia-a-dia dos principais acusados na Operação Marquês. Os pormenores de como a família de Ricardo Salgado vendeu terrenos em Cascais por 6 milhões, de como Zeinal Bava pagou 4 milhões por dois apartamentos no Chiado e de como José Sócrates mantém, na sombra, uma defesa avaliada em 750 mil euros.

No tema de capa desta semana, um olhar sobre o dia-a-dia dos principais acusados na Operação Marquês. Os pormenores de como a família de Ricardo Salgado vendeu terrenos em Cascais por 6 milhões – e de como parte desse dinheiro foi para o escritório de advogados de Proença de Carvalho; de como Zeinal Bava pagou 4 milhões por dois apartamentos no Chiado; e de como José Sócrates mantém, na sombra, uma defesa avaliada em 750 mil euros – e entretanto despediu o mediático advogado João Araújo.

O laboratório em casa
Desafiada a fazer a experiência de viver com produtos naturais, a jornalista Maria Espírito Santo aceitou prontamente. Hoje confessa: "Tinha uma ideia um pouco ingénua do que seria. Não soube bem no que me ia meter." No trabalho que publicamos, pode ler como ela teve de penar em mini, médios e supermercados à procura de ingredientes difíceis de encontrar (como o sabão de azeite, que até já foi um produto comum em Portugal). O tempo de preparação indicado nas receitas também não tem correspondência na realidade: em alguns casos, 10 minutos transformaram-se em horas, numa espécie de minuciosa experiência laboratorial. De tudo, o que correu pior foi o champô, mas o resultado foi muito positivo, se não vejamos os planos de Maria para a sua cosmética: "O gel de duche tenho de aperfeiçoar a textura, a pasta de dentes vou usar alternadamente com a regular, vou manter-me fiel ao novo desmaquilhante, a pasta escura para a pele não vai sair da minha rotina e o creme de corpo talvez, para a próxima vez, lhe troque o óleo essencial (prefiro o de lavanda ao de menta)."

Aventuras em África
O jornalista Tiago Carrasco foi a Luanda apresentar o livro que escreveu sobre Os Tuneza (já descritos como uma espécie de Gato Fedorento de Angola) mas aproveitou para trabalhar. Ele próprio confessa que quase faz questão em realizar uma qualquer reportagem sobre desporto em todas as (muitas) viagens que faz, mas desta vez não tinha qualquer perspectiva, até que lhe falaram do português que treina o clube do general Bento Kangamba. Chama-se Sérgio Traguil e respondeu pelo chat do Facebook minutos depois de contactado. Contou a sua história numa entrevista de 85 minutos – e é uma história incrível de um treinador com carreira em África e um percurso no mínimo peculiar: de agente da EMEL com sentimentos de culpa passou para as escolinhas do Benfica, daí saltou para a Nigéria, conheceu a riqueza, regressou a Portalegre e enfrentou a falência – e está agora em Angola nos primeiros lugares do Girabola.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui