Alívio para a enxaqueca
João Carlos Silva Director Adjunto
26 de setembro de 2018

Alívio para a enxaqueca

Em Portugal, a pior de todas as dores de cabeça, a enxaqueca, faz sofrer 10 a 15% da população. É um mal prolongado e silencioso que atinge muito mais mulheres do que homens.

As conversas com pacientes que sofrem de dores de cabeça de vários tipos e as entrevistas a médicos que usam estratégias diversas para as combater parecem ter dado à jornalista Susana Lúcio uma resistência maior às suas próprias dores de cabeça. Num fim-de-semana em família, que incluiu pesadelos nocturnos infantis durante duas noites consecutivas, ninguém dormiu e surgiu, quase inevitável, uma dor de cabeça. Mas (e é aqui que entra a parte da maior resistência) foi possível suportá-la sem recurso a qualquer medicamento. Depois de tudo o que tinha ouvido de pacientes e clínicos, Susana Lúcio sabia perfeitamente que a sua dor era quase ridícula quando comparada com as mais terríveis que lhe descreveram - em Portugal, a pior de todas, a enxaqueca, atingirá 10 a 15% da população. O trabalho que publicamos a partir da página 40 é essencialmente sobre os avanços da ciência para aliviar as dores insuportáveis, prolongadas e silenciosas que em média atingem três vezes mais mulheres do que homens, isto num momento em que um medicamento inovador vai entrar em Portugal.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login