Putin acusado de pedofilia por espião assassinado

Nuno Paixão Louro 22 de janeiro de 2016

Num artigo publicado quatro meses antes da sua morte, Alexander Litvinenko, denunciou a existência de filmes de câmaras de vigilância do Presidente russo a fazer sexo com crianças

No inquérito sobre a morte por envenenamento do antigo agente secreto russo, Alexander Litvinenko, existe um documento que é visto como uma possível causa para o seu homicídio, em 2006. Num texto, publicado no site Chechenpress, em Julho desse ano, Litvinenko escrevia que Vladimir Putin era pedófilo.



O artigo começa com o relato de um encontro, perto do Kremlin, entre o Presidente e um rapaz com "quatro ou cinco" anos, Nikita Konkin, em 2006: "Putin ajoelhou-se, levantou a t-shirt do rapaz e beijou-lhe a barriga" (na imagem). Litvinienko comentou que ninguém percebeu "porque é que o Presidente russo tinha feito uma coisa tão estranha".

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais