PM australiano não classifica atropelamento em Melbourne como terrorismo

PM australiano não classifica atropelamento em Melbourne como terrorismo
Mariana Branco 22 de dezembro de 2017

Na tarde de quinta-feira, um homem de 32 anos de origem afegã conduziu uma viatura contra uma multidão, ferindo 19 pessoas, das quais 12 ainda estão hospitalizadas.

O primeiro-ministro australiano Malcolm Turnbull descartou esta sexta-feira classificar o atropelamento de uma multidão, na quinta-feira em Melbourne, como acto terrorista. Contudo, nenhuma hipótese está excluída definitivamente, estando a polícia a investigar o sucedido.

Na tarde de quinta-feira, um homem de 32 anos de origem afegã conduziu uma viatura contra uma multidão, ferindo 19 pessoas, das quais 12 ainda estão hospitalizadas. O condutor, que ainda não foi interrogado oficialmente, tem um historial de "problemas mentais e de consumo de estupefacientes", disse Turnbull durante uma conferência de imprensa, em Sydney.

O atropelamento, que a polícia afirmou ter sido deliberado, foi um acto "isolado, deplorável e cobarde", disse o primeiro-ministro australiano, sublinhando que as investigações preliminares apontam que o condutor não tem ligações a "grupos extremistas". Contudo, ressalvou que nenhuma hipótese foi totalmente descartada, recusando nesta fase classificar o acto como terrorista.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais