EUA elevam alerta de segurança para viagens ao Brasil devido ao crime

Lusa 14 de janeiro de 2020
Sábado
Leia a revista
Em versão ePaper
Ler agora
Edição de 4 a 10 de março
As mais lidas

"Não viaje para quaisquer áreas a menos de 150 quilómetros das fronteiras terrestres do Brasil" com vários países, diz departamento governamental dos EUA.

O Departamento de Estado norte-americano elevou hoje o nível de alerta para turistas que pretendam viajar para o Brasil devido à "criminalidade", dirigindo atenções para favelas, regiões de fronteira e cidades satélite de Brasília, capital do país.

Acção policial favelas Rio Janeiro
Acção policial favelas Rio Janeiro
Acção policial favelas Rio Janeiro
Acção policial favelas Rio Janeiro
Acção policial favelas Rio Janeiro
Acção policial favelas Rio Janeiro
Acção policial favelas Rio Janeiro
Acção policial favelas Rio Janeiro
Acção policial favelas Rio Janeiro
Acção policial favelas Rio Janeiro
Acção policial favelas Rio Janeiro
Acção policial favelas Rio Janeiro
Acção policial favelas Rio Janeiro
Acção policial favelas Rio Janeiro
Acção policial favelas Rio Janeiro
Acção policial favelas Rio Janeiro

De acordo com as recomendações de viagem divulgadas hoje no 'site' do departamento governamental dos Estados Unidos da América (EUA), o alerta de segurança para o Brasil - que pode ir do nível um ao quatro - , está agora no nível dois, em que é aconselhado o aumento de cautela.

Já nas áreas especificamente não recomendadas, o nível de alerta atinge o nível máximo de quatro.

"Não viaje para quaisquer áreas a menos de 150 quilómetros das fronteiras terrestres do Brasil com Venezuela, Colômbia, Peru, Bolívia, Guiana, Suriname, Guiana Francesa e Paraguai devido a crime", alertou o Departamento de Estado, frisando que o Parque Nacional de Foz do Iguaçu e o Parque Nacional do Pantanal estão excluídos do aviso.

Também foi desaconselhada a visita a "empreendimentos informais de habitação - habitualmente referidos no Brasil como favelas, vilas, comunidades ou conglomerados -, a qualquer hora do dia devido ao crime", nem mesmo com visitas guiadas.

As designadas "cidades satélites" de Brasília, como Ceilândia, Santa Maria, São Sebastião e Paranoá estão também na lista dos EUA de locais a não frequentar "durante o horário não diurno devido à criminalidade".

Os funcionários do Governo norte-americano não têm permissão para se deslocarem às zonas mencionadas, "exceto em circunstâncias limitadas e com aprovação prévia".

O executivo dos EUA resume o Brasil como um país com "crimes violentos", como "assassinato, assalto à mão armada e roubo de carros", em "áreas urbanas", de "dia e de noite".

"A atividade de gangues e o crime organizado são generalizados. Assaltos são comuns. Os funcionários do Governo dos EUA são desencorajados a usar autocarros públicos municipais em todas as partes do Brasil devido ao risco elevado de assalto e agressão a qualquer hora do dia, e principalmente à noite", advertiu o Departamento de Estado.

Descubra as
Edições do Dia
Publicamos para si, em três periodos distintos do dia, o melhor da atualidade nacional e internacional. Os artigos das Edições do Dia estão ordenados cronologicamente aqui , para que não perca nada do melhor que a SÁBADO prepara para si. Pode também navegar nas edições anteriores, do dia ou da semana
Artigos Relacionados
Investigação
Opinião Ver mais