Homem promete processar pais por o terem concebido. É "rapto ou escravatura", defende

Carolina R. Rodrigues 04 de fevereiro de 2019

O indiano de 27 anos admitiu ter uma "ótima relação com os pais", mas que isso não justifica a injustiça que sofreu por o terem "obrigado a nascer".

Um homem de 27 anos garantiu que irá processar os seus pais pelo simples facto de o terem concebido. Na perspetiva de Raphael Samuel, residente em Mumbai, na Índia, esta ação é comparável a um "rapto ou escravatura".

Samuel intitula-se de "anti-natalista", um "movimento" que defende que é incorreto obrigar uma criança que não deseja nascer a suportar as experiências da vida apenas para consumar os prazeres dos seus progenitores.

Apesar de ter uma "ótima relação" com os pais, tal não compensa o facto de estes o terem obrigado a nascer. Para ele, os seus pais amavam-no, mas tiveram-no "para o seu próprio prazer e felicidade", disse ao The Print.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui