Entrevista
Entrevista

Napoleão Mira: "Se a vida fosse traduzida em poemas, o Sam the Kid seria a minha obra-prima"

Napoleão Mira: 'Se a vida fosse traduzida em poemas, o Sam the Kid seria a minha obra-prima'
Pedro Henrique Miranda 17 de setembro

Autor e declamador de poesia, escritor, músico e performer, Napoleão Mira – pai de Samuel Mira, ou Sam the Kid, e seu companheiro no palco – fala-nos da sua vida, da contribuição para o arranque da carreira do filho e do arranque tardio do seu próprio percurso artístico.

Depois de boa parte da vida a trabalhar no turismo, deu início a uma carreira artística "quando os outros a acabam", já para lá dos 50 anos. Foi uma improvável força criativa no arranque da carreira de Sam the Kid, seu filho – com quem tem surgido regularmente em espetáculos ao vivo – e, desde aí, tem multiplicado os seus talentos em áreas como a música, a performance e a escrita, entre a poesia e a prosa. Fundou uma revista, escreveu cinco livros e foi co-autor de dois álbuns musicais, além de participante em muitos outros (incluindo os do seu filho), a declamar poesia. Uma conversa alargada com Napoleão Mira, um artista com "uma inevitável atração pelos abismos da vida".

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
A Newsletter As Mais Lidas no seu e-mail
Às Sextas-Feiras não perca as notícias mais lidas da semana