Entrevista
Entrevista

Iulia Timochenko: “Putin não ficará satisfeito com um compromisso territorial”

Foi a primeiro mulher a liderar o Governo da Ucrânia (em 2005 e de 2007 a 2010). Hoje à frente do partido União Patriótica Batkivshchyna, esteve em Portugal e diz que é imperativo derrotar os russos.

Nascida em Dnipro, em 1960, foi a primeira mulher a chefiar o governo da Ucrânia. Iulia fez fortuna em negócios do gás natural no fim da década de 90 e, como cumpria a uma “princesa do gás”, entrou na política, tornando-se responsável pelo setor energético. Dirigente destacada da Revolução Laranja, no fim de 2004, a sua oposição ao regime de Viktor Ianukovich (2010-2014) redundou em processos judiciais que a levaram à prisão entre agosto de 2011 e fevereiro de 2014. A economista lidera atualmente o quarto maior partido no parlamento de Kiev, tendo, na sua terceira candidatura presidencial, em 2019, sido eliminada à primeira volta com 13%.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
A Newsletter As Mais Lidas no seu e-mail
Às Sextas-Feiras não perca as notícias mais lidas da semana