Entrevista
Entrevista

Renata Gomes: “Portugal não pode continuar a ter só dois prémios Nobel”

Paulo Vila 18 de setembro

A multipremiada investigadora portuguesa esteve agora na Ucrânia, numa missão para reabilitar veteranos mutilados. É conselheira científica do governo britânico e da administração dos EUA.

Tem na regeneração cardiovascular a missão da sua vida. Aos 37 anos, acumula já dezenas de prémios e condecorações, entre elas a de Freeman da cidade de Londres (criada há 800 anos), em reconhecimento pela sua carreira e pelo contributo dado ao Reino Unido. Professora catedrática, rosto da Fundação Britânica do Coração, Renata Gomes lidera também a criação de um projeto científico multidisciplinar que é visto por Bill Gates como estando “para lá do brilhantismo académico”. As causas humanitárias colocam-na debaixo das bombas e próxima de algumas das mais importantes elites políticas e de segurança nacional do mundo. A SÁBADO falou com ela durante uma visita a Barcelos, a sua terra natal.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
A Newsletter As Mais Lidas no seu e-mail
Às Sextas-Feiras não perca as notícias mais lidas da semana