Entrevista
Entrevista

Rui Costa: “Os neurónios são complicadíssimos. Alguns têm um metro e tal de comprimento”

Rui Costa: “Os neurónios são complicadíssimos. Alguns têm um metro e tal de comprimento”
Vanda Marques 24 de maio

Já demonstrou que o cérebro consegue controlar um avião e que o stress influencia os nossos pensamentos. O neurocientista dedica-se ao estudo de Parkinson e diz que ainda há muito por descobrir.

A televisão mudou-lhe a vida, David Attenborough apontou-lhe o caminho para a carreira: compreender o comportamento animal. Foi estudar veterinária, mas o que queria mesmo era perceber o que está por trás das atitudes dos animais. Daí para as neurociências foi um passo e construiu uma carreira ímpar. Fez parte da equipa de investigadores que iniciou a Fundação Champalimaud e este ano, depois de ter presidir ao Instituto Zuckerman, em Nova Iorque, vai chefiar o Instituto Allen, de Biociência, criado por Paul G. Allen, cofundador da Microsoft. O neurocientista – e professor de Neurociência e Neurologia na Universidade de Colúmbia, nos Estados Unidos, diz que a saúde mental tem de ser prioritária.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
A Newsletter As Mais Lidas no seu e-mail
Às Sextas-Feiras não perca as notícias mais lidas da semana