Entrevista

Maria de Belém e Adalberto Campos Fernandes: "Vamos ter dias difíceis" com a pandemia

Maria de Belém e Adalberto Campos Fernandes: 'Vamos ter dias difíceis' com a pandemia
Lucília Galha 23 de novembro

Com os números de Covid-19 a aumentar, os dois antigos ministros da Saúde fazem um raio-X ao SNS e recordam: Portugal é dos países mais envelhecidos da Europa. Não poupam críticas: o País está refém das Finanças, o Governo não separou a política da saúde pública e ser moderado tornou-se um estigma.



A conversa começou, ainda com o gravador desligado, num tom descontraído. Com futebol – não podia deixar de ser, sendo a redação da SÁBADO ao lado do Estádio da Luz e Adalberto Campos Fernandes um assumido benfiquista. "Tive uma boa notícia ontem, parece que o Jorge Jesus vai para o Brasil, foi das melhores coisas que ouvi nos últimos tempos", diz o antigo ministro da Saúde, para Maria de Belém, sua interlocutora, que também esteve no cargo.

Mas, assim que a entrevista começou, mudou de tom. Os dois antigos ministros não pouparam críticas: à atuação na pandemia, que não "separou as águas" entre política e ciência; à falta de coragem política do Governo e ao "preço de entendimentos políticos", ao novo estatuto do Serviço Nacional de Saúde, "sem pés nem cabeça". No fim, deixaram um aviso: "As pessoas ouvem os extremos porque estão cansadas de um certo ‘acomodismo’ dos partidos centrais", diz Campos Fernandes. 

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
A Newsletter As Mais Lidas no seu e-mail
Às Sextas-Feiras não perca as notícias mais lidas da semana