Fomos à oficina onde se faz a Taça de Portugal

Fomos à oficina onde se faz a Taça de Portugal
Carlos Torres 30 de maio de 2015

São precisos 4,5 kg de prata e milhões de marteladas. Veja como se faz o troféu a disputar no domingo, 31 de Maio, por Sporting e Sp. Braga

Quando se entra na oficina, repara-se logo na fileira de martelos e macetas pendurados na parede: são 70, de diferentes tamanhos. E também nas latas em cima da mesa, onde estão guardados mais de 500 pequenos cinzéis específicos para metal. Paula e Eduardo estão debruçados sobre a bancada de madeira, iluminada por duas lâmpadas fluorescentes. Os artesãos dão os últimos retoques na Taça de Portugal de futebol. A execução do troféu, que será entregue ao Sporting ou ao Sp. Braga (a final é disputada no domingo, 31 de Maio, no estádio Nacional), demorou um mês, desde a fundição da prata até aos acabamentos.



A taça (uma réplica da original, de 1938, que pesa 20 kg e está na sede da federação) é feita de forma artesanal. Primeiro, funde-se a prata nos fornos, para dar origem a placas. Essas placas são depois moldadas em tornos, com um peão rotativo e moldes específicos, para ganharem as formas arredondadas. As diferentes partes do troféu são soldadas, para completar o conjunto, e lixadas.

A seguir desenham-se os motivos decorativos, que no caso da Taça de Portugal são inspirados no estilo manuelino (caravelas, brasões ou a cruz de Cristo). Os desenhos ganham relevo com as pancadas dos cinzéis e por fim dá-se o polimento e os banhos de prata e de ouro.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais