Os perfeccionistas foram dos que mais sofreram com a pandemia

Os perfeccionistas foram dos que mais sofreram com a pandemia
Diogo Barreto 06 de outubro

As pessoas mais perfeccionistas "tiveram mais medo da covid-19" e maior receio das possíveis consequências da pandemia, o que os levou a desenvolver "mais sintomas de depressão, ansiedade e stress". 

As pessoas perfeccionistas sofreram mais com a pandemia de covid-19 que afeta o mundo há mais de um ano e meio, concluiu um novo estudo divulgado e conduzido por uma equipa de investigadores da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra.

O estudo intitulado "COVID-19 psychological impact: The role of perfectionism" (que pode ser traduzido como: "Impacto psicológico da Covid-19: O papel do perfeccionismo") foi publicado na revista científica Personality and Individual Differences e levado a cabo por investigadores do Instituto de Psicologia Médica da FMUC em colaboração com a Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Coimbra (ESTeSC). Foi ainda o primeiro estudo a nível internacional a avaliar o papel do perfeccionismo no sofrimento psicológico durante a pandemia. 

A investigadora Ana Telma Pereira refere que "as pessoas mais perfeccionistas tiveram mais medo da Covid-19, pensaram mais repetida e negativamente sobre a pandemia e as suas consequências e isso levou a que tivessem mais sintomas de depressão, ansiedade e stress". 

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais