Wall Street volta a subir com expectativa de acordo entre EUA e China

Negócios 07 de janeiro de 2019

O otimismo com as negociações entre a China e os Estados Unidos impulsionaram as ações em Wall Street. A fabricante de brinquedos Mattel destacou-se nos ganhos.

Por Tiago Varzim - Jornal de Negócios

A semana em Wall Street iniciou com o mesmo sentimento com que terminou última. Os índices acionistas voltaram a valorizar, continuando a recuperar das perdas sofridas no final de 2018, beneficiando dos sinais positivos sobre um possível acordo entre os Estados Unidos e a China na frente comercial. Em entrevista à CNBC, o secretário para o Comércio, Wilbur Ross, disse que existem "boas probabilidades" de haver acordo.

O Dow Jones 0,42% para 23.531,35 pontos e o S&P 500 avançou 0,7% para os 2.549,69 pontos. O Nasdaq ganhou 1,26% para 6.823,47 pontos. Apesar dos índices terem fechado em alta, aliviaram alguns dos ganhos na parte final da sessão.

Na sexta-feira as bolsas norte-americanas subiram 3% e evitaram começar o ano com a pior semana do Dow Jones e do S&P 500 desde 2000. Para esse desempenho contribuíram os dados robustos do mercado de trabalho e a flexibilidade expressa por Jerome Powell, presidente da Reserva Federal, quanto à condução da política monetária este ano.

A contribuir para o otimismo na sessão de hoje está a ida do conselheiro económico do presidente Xi Jinping, Liu He, às negociações que se iniciaram esta semana entre as autoridades norte-americanas e as chinesas. Esta semana é marcada pela nova tentativa de chegar a acordo antes do final de fevereiro, altura em que terminam as tréguas da disputa comercial firmadas entre os dois países a 1 de dezembro.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login