Uma pessoa detida nos EUA no âmbito da investigação aos pacotes suspeitos  

Negócios 26 de outubro de 2018

É a primeira detenção realizada pela polícia federal norte-americana (FBI) desde o início da investigação, numa altura em que o número de encomendas suspeitas identificadas desde segunda-feira subiu hoje para 12.

Por Lusa - Jornal de Negócios

Uma pessoa foi hoje detida no âmbito da investigação aos pacotes suspeitos endereçados esta semana a várias personalidades democratas e críticas da administração Trump, afirmou o Departamento de Justiça norte-americano.

 

A informação foi avançada por uma porta-voz do Departamento de Justiça norte-americano (equivalente ao Ministério da Justiça) numa mensagem publicada na rede social Twitter e citada pelas agências internacionais.

 

É a primeira detenção realizada pela polícia federal norte-americana (FBI) desde o início da investigação, numa altura em que o número de encomendas suspeitas identificadas desde segunda-feira subiu hoje para 12.

 

Fontes policiais citadas pela agência norte-americana Associated Press (AP) e que falaram sob anonimato, uma vez que não tinham autorização para falar da investigação em curso, referiram que a detenção foi realizada na Florida.

 

Momentos depois, a AP noticiou que a pessoa sob custódia policial é um homem com cerca de 50 anos.

 

O nome do suspeito e as acusações que pode enfrentar não são, até ao momento, conhecidas.

Nos últimos dias, vários pacotes suspeitos, todos potencialmente armadilhados, foram endereçados a políticos democratas e a várias personalidades críticas do Presidente norte-americano, Donald Trump, como foi o caso da ex-secretária de Estado e ex-candidata presidencial Hillary Clinton, do ex-Presidente Barack Obama ou do milionário e filantropo George Soros.

O FBI está também a investigar o envio de pacotes suspeitos ao antigo vice-Presidente Joe Biden, ao actor norte-americano Robert de Niro e ao ex-Procurador-geral Eric Holder.

 

A estação norte-americana de informação CNN também foi visada nesta vaga de encomendas suspeitas.

 

O pacote da CNN, enviado para as instalações do canal em Nova Iorque, continha um engenho explosivo e estava endereçado ao ex-diretor da CIA (serviços secretos) John Brennan, um reconhecido crítico da administração Trump e um colaborador frequente da estação.

 

Os dois últimos pacotes identificados visavam o senador democrata do Estado de New Jersey Cory Booker e o antigo director dos serviços de informações dos Estados Unidos, James Clapper.

 

O FBI está a realizar buscas a nível nacional, de costa a costa dos Estados Unidos, para tentar descobrir quem está a enviar estes pacotes. Até ao momento, ninguém reivindicou estes actos.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login