Presidente filipino que matar 3 milhões de toxicodependentes

CM 01 de outubro de 2016

Ainda assim, Rodrigo Duterte recusa comparações com Hitler.

Por Correio da Manhã

O porta-voz do Presidente filipino disse este sábado que Rodrigo Duterte não quis elogiar Adolf Hitler nem destacar o Holocausto como modelo para a sua violenta campanha contra o narcotráfico, que em três meses causou milhares de mortos.

Duterte gerou uma nova polémica ao declarar na sexta-feira que "gostaria de massacrar" os três milhões de toxicodependentes no país, tal como o líder nazi fez com milhões de judeus "para salvar a próxima geração da perdição".

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login