Governo garante terem sido pedidos 500 euros/hora por anestesista para a MAC

Record 27 de dezembro de 2018

A Ordem dos Médicos exigiu ver os documentos. Nos dias 24 e 25 de Dezembro, só esteve um anestesista na Maternidade Alfredo da Costa. Empresa prestadora de serviços pediu ?500/hora, frisa Ministério.

Por Record - Record

"Um mito de Natal". Assim caracterizou a Ordem dos Médicos a informação veiculada pela ministra da Saúde, Marta Temido, sobre os 500 euros por hora que teriam sido oferecidos a médicos anestesiologistas para que viessem trabalhar na Maternidade Alfredo da Costa (MAC), durante os dias 24 e 25 de Dezembro.

Para a Ordem, os dados indicados pela ministra são "notícias falsas". Mas em comunicado enviado às redações esta manhã, o Ministério da Saúde insistiu: uma das empresas prestadoras de serviços médicos contactadas pelo Centro Hospitalar Lisboa Central (CHLC) respondeu que "os vários especialistas contactados não estavam disponíveis para trabalhar pelos valores propostos (…) e incluía ainda a disponibilidade de um anestesista mediante o pagamento de 500 euros por hora". Recorde-se que as empresas podem ser singulares (de um médico em nome próprio) ou coletivas.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login