Fibrilhação auricular aumenta risco de AVC

CM 12 de agosto de 2017

Coágulos criados no coração aumentam em 5 vezes o risco de Acidente Vascular Cerebral.

Por Correio da Manhã

O coração funciona como uma bomba, distribuindo o sangue pelo corpo, através dos vasos sanguíneos. Para garantir que todos os órgãos recebem a sua parte, é-lhe exigido um ritmo constante de batimentos. Mas nem sempre isso acontece e as arritmias são um problema que exige especial atenção. Sobretudo a fibrilhação auricular, que aumenta em cinco vezes o risco de Acidente Vascular Cerebral (AVC).

O coração não é o único órgão afetado por esta arritmia cardíaca. "O cérebro é o órgão mais sensível às consequências da fibrilhação auricular", alerta Miguel Castelo-Branco, médico especialista em Medicina Interna.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui