Fenprof acusa Governo de, ilegalmente, não ter aberto 713 vagas de quadro

CM 09 de outubro de 2017

ME reiterou que as vagas abertas à data do concurso foram as que respeitavam os requisitos determinados para o efeito.

Por Correio da Manhã

A Fenprof acusou esta segunda-feira o Ministério da Educação de não ter aberto 713 vagas de quadro, exigindo agora a "reparação da ilegalidade" por parte da tutela, que diz que vai analisar a lista dos docentes excluídos remetida pelos sindicatos.

Depois de a Comissão Nacional de Proteção de Dados (CNPD) e a Comissão de Acesso aos Documentos Administrativos (CADA) terem autorizado a divulgação da listagem de professores que reuniam as condições para abertura de vagas no concurso de vinculação extraordinária, a Federação Nacional de Professores (Fenprof) veio esta segunda-feira defender que na sua análise desses documentos detetou 713 vagas em falta.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login