Críticas a Bolsonaro e filhos dão o tom ao Carnaval de rua por todo o Brasil

CM 03 de março de 2019

No Rio de Janeiro, foliões fizeram questão de ir para as ruas exaltando as diferenças de género e de raça, realçando a sua cor e opção sexual.

Por Domingos Grilo Serrinha, correspondente no Brasil - Correio da Manhã

Fortes críticas ao presidente Jair Bolsonaro, que assumiu o cargo há apenas dois meses, e aos seus polémicos filhos Carlos, Eduardo e Flávio estão a dar o tom à folia de Carnaval nas ruas de todo o Brasil. Declarações agressivas dos filhos, escândalos envolvendo o partido e a família e a estranha postura do próprio Bolsonaro, que depois de tomar posse parece ter-se ausentado das funções e não concretizou as principais promessas de mudança, deram o mote para fantasias, marchinhas e gritos carnavalescos de norte a sul do país, umas vezes de forma meramente divertida, outras até de forma ofensiva, mas todas mostrando claramente que a lua-de-mel entre o presidente e os cidadãos está menos harmoniosa do que seria de esperar para um prazo tão curto.

Em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, Olinda e Recife, por exemplo, para citar apenas os principais pólos do Carnaval de rua no Brasil, muitos foliões desfilaram fantasiados de laranja, numa alusão às candidaturas fictícias que o partido de Bolsonaro criou para desviar fundos públicos eleitorais, e, principalmente, aludindo a Flávio Bolsonaro, um dos filhos do presidente, acusado de, através do seu motorista, ficar com parte dos ordenados dos seus assessores. "Laranja" é como popularmente se chama no Brasil aos "testas-de-ferro", pessoas usadas por outros para assumirem atos que podem comprometer quem realmente os fez ou deles se beneficiou.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login