Cristas critica "tons de linguagem menos próprios" do primeiro-ministro

CM 28 de agosto de 2017

António Costa disse no passado sábado que foi preciso "chegar a tragédia de Pedrógão Grande" para PSD e CDS acordarem para a floresta.

Por Correio da Manhã

A presidente do CDS-PP disse esta segunda-feira que não se deixa condicionar "por tons de linguagem menos próprios" do primeiro-ministro, referindo-se a António Costa quando acusou o CDS de apenas se interessar pelo debate sobre a floresta quando ocorreu a tragédia.

Questionada pelos jornalistas sobre as críticas do primeiro-ministro, que no sábado disse ter sido preciso "chegar a tragédia [os incêndios de Pedrógão Grande causaram 64 mortos]" para PSD e CDS acordarem para a floresta, Assunção Cristas respondeu que "o CDS não muda a sua atitude, nem se deixa condicionar por tons de linguagem menos próprios do senhor primeiro-ministro".

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login