Costa antecipa despesa a crescer abaixo do orçamentado

Negócios 27 de junho de 2016

No dia em que a DGO avança a execução orçamental até Maio, o primeiro-ministro acusou a direita de falhar nas suas previsões para o défice e exportações. E culpou o Governo anterior pela queda no investimento.

Por Paulo Zacarias Gomes - Jornal de Negócios

No dia em que será conhecida a execução orçamental até Maio, o primeiro-ministro antecipa que a despesa cresceu abaixo do esperado nos primeiros cinco meses do ano e que a arrecadação de impostos subiu em linha com o previsto, levando António Costa a afastar uma vez mais a necessidade de um "plano B".
"Tenho a certeza que evolução de Abril e Maio não só confirma o que foram os resultados do primeiro trimestre. As despesas com consumos intermédios e com pessoal estão a crescer abaixo do orçamentado e a receita fiscal continuou a subir em linha com o que estava projectado no Orçamento", afirmou o primeiro-ministro esta segunda-feira, na intervenção de abertura das jornadas parlamentares do Partido Socialista nos Açores, transmitida pelas televisões.
Costa recorreu aos números do INE conhecidos na sexta-feira, que calculam o défice até Março nos 3,2% do PIB, um recuo em relação aos 5,5% contabilizados no último trimestre de 2015, para reafirmar que não haverá medidas adicionais: "O plano A é só o plano A e não haverá plano B. (…) Se descontarmos medidas extraordinárias de 2008, tivemos o melhor défice do primeiro trimestre desde 2002. (…) Foi uma redução de 900 milhões de euros, sendo que a redução prevista em todo o ano é de 1.300 milhões", garantiu, acusando a direita de "falhar" nas suas previsões para o défice, o investimento e as exportações.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login