Admite ter discutido mas nega homicídio

CM 12 de abril de 2018

Dois sem abrigo respondem pela morte de outro, num terreno onde dormiam em carros, em Loulé.

Por Correio da Manhã

"Chegou ao local onde dormíamos já alcoolizado. Começou a chamar-me nomes e andámos à porrada", contou esta quarta-feira, no Tribunal de Faro, o moldavo Mindicanu Andrei, um dos dois arguidos suspeitos de matarem, entre a noite de 5 e a madrugada de 6 de abril de 2017, o ucraniano Ivan Zaritskyy, num terreno onde todos dormiam, em dois automóveis, perto do Estádio Municipal de Loulé.

Mindicanu negou, no entanto, na primeira sessão de julgamento, que a vítima tivesse morrido às suas mãos: "Parámos de lutar e levei-o ao carro dele. Depois ainda me pediu um cigarro. De manhã é que reparei que ele estava mal, porque não tinha reação, e chamei logo o INEM."

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login