2017: O ano bipolar

Negócios 22 de dezembro de 2017

Foi um ano de tons carregados, colorido no maior crescimento da economia em mais de uma década, na proeza de Mário Centeno ou de Salvador Sobral, na saída do "rating" lixo, na visita do Papa a Fátima. Foi também riscado a negro por duas tragédias nos incêndios, o choque frontal com a depressão do interior, o luto da perda de símbolos nacionais.

Por André Veríssimo - Jornal de Negócios

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui