Infografia: A teia do pirata informático Rui Pinto

Presidência da República e Ministérios. Clubes de futebol e escritórios de advogados de todo o mundo. Ninguém escapou a Rui Pinto, revela um relatório secreto da Polícia Judiciária a que a SÁBADO teve acesso.

Presidência da República e Ministérios. Clubes de futebol e escritórios de advogados de todo o mundo. Ninguém escapou a Rui Pinto, revela um relatório secreto da Polícia Judiciária a que a SÁBADO teve acesso.

O exame forense da Polícia Judiciária aos discos rígidos de Rui Pinto, a que a SÁBADO teve acesso, revelam que os clubes de futebol foram o grande alvo (com 141 caixas de email). O Benfica foi quem sofreu mais com o ataque informático do hacker (43), seguido do Atlético Madrid (com 19 caixas de email acedidas) e do FC Porto (12).

Os alvos estenderam-se também a vários escritórios de advogados (113 emails) – CCA Ontier (43), Vaz Serra & Associados (16), entre muitos outros – e 78 de Federações/Organizações - como por exemplo, na Suíça, a FIFA (32) e a UEFA (3).

O pirata informático é ainda acusado de ter entrado nos servidores da PLMJ, sociedade de advogados de João Medeiros, um dos causídicos que defendia o Benfica no caso e-Toupeira. 

Para além dessas caixas de correio eletrónicas, a PJ localizou ainda outras 38 de agentes desportivos e 10 de outras entidades de diversas áreas. Entre os agentes estão os argentinos Dodici, 7ORO e Danilo Mendes – com 3, 2 e 1 emails, respetivamente.

Portugal foi também o país mais afetado com o ataque de Rui Pinto a outras entidades – acedeu a 33 caixas de email, o que representa 87% do total.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login