MP concorda com afastamento do juiz do caso Rui Pinto

MP concorda com afastamento do juiz do caso Rui Pinto
Carlos Rodrigues Lima 22 de maio de 2020

Ministério Público no Tribunal da Relação de Lisboa deu um parecer favorável à saída do magistrado Paulo Registo, cuja recusa foi pedida pela defesa do "hacker"


O Ministério Público do Tribunal da Relação de Lisboa deu um parecer favorável ao afastamento do juiz Paulo Registo do julgamento do "hacker" Rui Pinto. Segundo informações confirmadas pela SÁBADO, depois da defesa do arguido ter pedido a recusa e o próprio juiz ter feito um pedido de escusa, o MP considerou que o juiz deveria sair do processo por existir motivo sério e grave para colocar em causa a sua imparcialidade. A decisão final cabe a um juiz do Tribunal da Relação de Lisboa.

Depois de a SÁBADO ter revelado a condição de fervoroso adepto do Benfica de Paulo Registo, assim como o facto de o memso ter apoiado publicações nas redes sociais de crítica a Rui Pinto, o advogado do "hacker", Francisco Teixeira da Mota, avançou com um pedido de recusa do magistrado, alegando existir "suspeita sobre a sua imparcialidade", depois de surgirem notícias, fotografias e publicações nas redes sociais do magistrado a dar conta da sua ligação afetiva ao Benfica.

A defesa de Rui Pinto sustenta que a suspeita quanto à imparcialidade do juiz Paulo Registo "não se funda nem em suspeitas na distribuição dos processos, nem na sua mera filiação clubística, nem no clube do qual supostamente são adeptos os arguidos, nem sequer a circunstância de o denominado processo e-toupeira ter sido distribuído ao coletivo de integra".

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Opinião Ver mais