Alvos em movimento: Guterres, Sampaio, Constâncio, Cavaco e Eanes

Os alvos em movimento de Soares: Guterres, Sampaio e Cavaco
Fernando Esteves 08 de janeiro de 2017

Varreu os seus inimigos internos das listas eleitorais do PS, combateu Ramalho Eanes e nunca acreditou que "um homem sem mundo" como Cavaco chegasse ao poder

Ao longo da sua história as várias correntes do Partido Socialista lutaram barbaramente entre si. Houve os soaristas. Os gamistas. Os sampaístas (que se subdividiam entre os ex-GIS, os ex-UEDS e os ex-pinsasilguistas). Os guterristas. Os socráticos. Os ferristas. Os seguristas. Os sindicalistas. Congresso a congresso, as tendências  foram-se aliando ou afastando à medida dos seus interesses e ambições. Gama e Soares estiveram juntos contra Sampaio, Guterres e Constâncio. Mas já estiveram separados quando Gama apoiou Sampaio. Sócrates esteve contra João Soares, que era apoiado por Mário Soares, que viria a ser um dos maiores apoiantes de José Sócrates, que…

Recuemos a 1981. Na sequência do congresso desse ano, em que sofreram uma pesada derrota contra Mário Soares, os membros do chamado grupo do ex-secretariado – constituído por destacados militantes socialistas que se tinham destacado pelo apoio, à revelia de Soares, da recandidatura de Ramalho Eanes à Presidência da República – decidiram começar a sarar as feridas num simpático sótão de um nono andar situado na Avenida dos Bombeiros Voluntários, em Algés.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais