Rebenta a bolha
Margarida Davim Jornalista
01 de dezembro de 2021

Rebenta a bolha

Vivemos numa bolha. E dentro desse habitáculo de ideias comuns, há um mundo reduzido de pessoas que pensam como nós. Fora disso, imagino que noutras bolhas, vivem os outros. E, por algum motivo, esses outros, que não conhecemos, são os elementos determinantes da realidade.

O plástico bolha é, segundo os sites da especialidade, um "produto impermeável, resistente à pressão, às vibrações, aos choques e às rupturas". As pequenas almofadas de ar transparente são também uma óptima metáfora para aquilo em que se tornou a nossa sociedade.

Dentro de cada uma dessas cápsulas, aparentemente resistentes, há ar, perfeitamente isolado do ar que existe em todas as outras, apesar de todas as bolhas fazerem parte de uma mesma folha de plástico.

Num mundo segmentado por redes sociais, algoritmos de conteúdos direccionados e constelações de plataformas constantemente a debitar informações divergentes, perdeu-se a noção do todo. E damos por nós a falar nas bolhas.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui