Trump ainda não acabou
Eduardo Dâmaso Director
12 de novembro de 2020

Trump ainda não acabou

O que estava em jogo nesta eleição, mais do que o resgate da alma da América, era a do próprio mundo e dos seus equilíbrios.

O resultado das eleições norte-americanas representa a notícia mais feliz destes tempos negros e pandémicos que vivemos. Com a vitória de Joe Biden triunfou a moderação, o bom senso, a capacidade de dialogar e criar convergências, virtudes originárias da democracia americana. Triunfou o multilateralismo e a arte da política enquanto pilar da construção de um futuro coletivo para todos, sejam americanos, europeus, asiáticos ou africanos, sejam brancos ou negros, católicos, budistas ou protestantes. O que estava em jogo nesta eleição, mais do que o resgate da alma da América, era a do próprio mundo e dos seus equilíbrios. Equilíbrios que já não eram muito saudáveis quando foram dramaticamente abalados em 2016 por uma liderança trumpista, que levou a malvadez pura e simples, a segregação supremacista e o maniqueísmo, entre muitos outros monstros, para o coração da Casa Branca.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Opinião Ver mais