ZP Fafe:  o mestre da inquietação
Alexandre Pais
20 de janeiro de 2016

ZP Fafe: o mestre da inquietação

A verdade é que se as boas práticas de gestão tivessem chegado mais cedo, muitos títulos não teriam encerrado

No Verão de 2000, quando enviei a repórter Filomena Araújo para Barrancos, à procura da família do Zé Maria – o cromo que fez o sucesso do primeiro Big Brother e com ele o da TVI – tomei a decisão que daria mais dez anos de publicação ao diário 24horas, que agonizava então, com vendas de 10 mil exemplares. Mas não o fiz por inspiração divina, limitei-me a pensar no que faria no meu lugar o José Paulo Fafe, um génio do jornalismo com quem tive o privilégio de trabalhar.

José Paulo Fafe, 54 anos, trabalha hoje na área do marketing político 

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Opinião Ver mais