Tendências de agosto: locais pequenos
Paula Cordeiro
10 de agosto

Tendências de agosto: locais pequenos

O que interessa isto nesta época de fait divers e silly stories para fazer tempo entre mergulhos no mar? Tudo. Nunca como agora o local foi tão importante, nunca como agora foi determinante.

Nasci e cresci numa pequena localidade, tão perto da, na altura, quase cosmopolita Lisboa, que nunca pensei viver num local que não a cidade. Na adolescência, as miúdas juntavam-se para fazerem compras na Guerra Junqueiro e, na faculdade, a meia hora de caminho não justificava ter um quarto ali perto. O que me fez ter sempre uma admiração particular por Lisboa, em detrimento desse lugar pequeno, o qual, apesar do charme, sempre hesitei em chamar casa. Depois, a vida aconteceu e dei por mim a instalar-me no centro da cidade, procurando chamar casa a uma forma diferente de viver o dia-a-dia. E fui - fomos - muito felizes, no pragmatismo que nos é tão característico, alheados ao facto de estarmos, constantemente, a viajar atrás do sol, do mar e das ondas. Era na cidade que estava a razão e na zona de Cascais o coração, esse pequeno, mas carismático lugar que a minha família adoptou de paixão. 

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui