Na era da hipervigilância, vou desaparecer do mapa
Paula Cordeiro
12 de outubro

Na era da hipervigilância, vou desaparecer do mapa

As fotos que tiramos têm a localização associada e precisamos fechar completamente os canais de acesso para nos protegermos. Tal não é possível nos dispositivos modernos que a maior parte das pessoas utiliza. A favor da conveniência, facilidade, conexão. Além de nos fornecerem a informação que procuramos, resta saber o que fazem estas empresas com esses dados.

Tenho, actualmente, uma responsabilidade em mãos que me aterroriza. Envolve internet, crianças e ensino, precisa de se dar a conhecer e sei o preço que pagamos por cada bit de informação que colocamos na web. No entanto, é na web - e redes sociais - que esperam encontrar-nos, e é na web e redes sociais que encontro o maior desafio.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui