A carneirada da mudança
Paula Cordeiro
26 de outubro

A carneirada da mudança

Tal como individualmente estamos num continuo processo de mudança, também socialmente estamos sempre em evolução e, parece-me, a evolução actual é tudo menos positiva.


Escrever todas as semanas, procurar ideias, desenvolver um tema e escolher um ângulo tem tanto de divertido como de avassalador. O medo de parecer idiota, de não ser suficientemente relevante ou a pressão da comparação pesa a qualquer um, mesmo os que se dizem imunes a isso. As ideias estão em todo o lado, por vezes é apenas uma frase que desperta a imaginação ou a vontade de explorar o tema de uma forma diferente do habitual. Escrever tem esse efeito em nós, que escrevemos, mas também nos que nos acompanham a cada texto que publicamos. Foi o que aconteceu a semana passada, quando apenas uma frase, num comentário que me deixaram numa publicação no Instagram, motivou um artigo que parte da rotina do dia-a-dia para pensar no tipo de sociedade que estamos a construir para nós: a carneirada da mudança, na qual também me incluo. Tal como individualmente estamos num continuo processo de mudança, também socialmente estamos sempre em evolução e, parece-me, a evolução actual é tudo menos positiva. Dizem que a culpa é das redes sociais, quando na verdade, é nossa, por não sabermos a diferença entre usar e ser usado. 

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui