Tragam a taça que importa
Ana Rita Cavaco Bastonária da Ordem dos Enfermeiros
19 de novembro

Tragam a taça que importa

Que a voz de Bruno Fernandes contagie toda a seleção, para que cada vitória de Portugal seja o triunfo da liberdade, da tolerância e da inclusão. Rapazes, mostrem ao mundo quem somos e aquilo em que acreditamos. Essa é a taça que importa.

Quando a bola começar a rolar, domingo no Qatar, todos os homens e mulheres livres, apaixonados pela democracia e pelo desporto, vão corar de vergonha. A surpresa não são só os contornos de um regime absoluto, castrador das liberdades individuais, mas a conivência do mundo do futebol.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui