Procuradora-geral desafiou lei migratória de Trump. Foi despedida

Cátia Andrea Costa 31 de janeiro de 2017

Presidente dos EUA despediu a procuradora-geral interina do país, Sally Yates, que ordenou aos advogados do Ministério Público que não defendam a proibição de entrada de refugiados e outros viajantes de países muçulmanos. Procurador substituto já prometeu cumprir a lei

"A procuradora-geral interina, Sally Yates, traiu o Departamento de Justiça". Foi desta maneira que o presidente dos EUA, Donald Trump, justificou nova medida polémica. O líder da Casa Branca despediu a procuradora-geral interina do país que ordenou aos advogados do Ministério Público que não defendam a proibição de entrada de refugiados e outros viajantes de países muçulmanos.

 

Num comunicado de tom forte, a Casa Branca disse que Sally Yates, membro da administração Obama, é "fraca nas fronteiras e muito fraca em [relação à] imigração ilegal". "A procuradora-geral interina, Sally Yates, traiu o Departamento de Justiça ao recusar fazer cumprir uma ordem legal para proteger os cidadãos dos Estados Unidos", reforçou a liderança norte-americana: "O presidente Trump dispensou Yates das suas funções."

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Investigação
Opinião Ver mais