EUA não terão exclusividade de vacina que será disponibilizada em todo o mundo

Jornal de Negócios 14 de maio de 2020

Após uma reunião com o presidente francês, o CEO da farmacêutica Sanofi indicou que a vacina contra o novo coronavírus será disponibilizada em todo o mundo ao mesmo tempo.

O CEO da farmacêutica Sanofi recuou esta quinta-feira na intenção de dar prioridade aos Estados Unidos na futura vacina contra o novo coronavírus. Após uma reunião com o presidente francês, o gestor indicou que a vacina ficará disponível em todo o mundo ao mesmo tempo.

Estas declarações contradizem o que o próprio Paul Hudson (na foto) tinha dito na véspera, quando defendeu que os Estados Unidos ganharam prioridade porque foram o primeiro país a financiar a pesquisa da empresa.

"O governo dos Estados Unidos tem o direito à maior encomenda porque investiram, assumindo o risco", justificou. 

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais