Chapecoense: Controladora suspensa pede asilo ao Brasil

Cátia Andrea Costa 06 de dezembro de 2016

Célia Castedo foi suspensa por alegadamente ter omitido que o avião que transportava a "Chape" não tinha combustível suficiente para a viagem. Agora, pediu asilo no Brasil

A controladora aérea que monitorizava o voo fatal da Chapecoense, Celia Castedo, pediu asilo no Brasil. Procurada no seu país, por "incumprimento de deveres e atentando contra a segurança do voo", a controladora deslocou-se para Corumbá, a cidade na fronteira com Santa Cruz, onde vivia e de onde partiu o avião acidentado.

Segundo os media brasileiros, o governo da Bolívia ainda não tem conhecimento do pedido de asilo e não fará qualquer comentário até ser notificado do mesmo. Já o sindicato dos controladores aéreos boliviano manifestou o seu apoio a Castedo e criticou que a colega esteja a ser alvo de uma investigação criminal.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Opinião Ver mais