Tribunal britânico decide desligar suporte de vida de bebé de 11 meses

Susana Lúcio 29 de janeiro de 2018

Isaiah Haastrup sofreu uma grave lesão neurológica durante o parto e tem estado ligado a ventiladores desde então

Seis meses depois do caso de Charlie Gard, o bebé britânico com uma rara desordem genética que o hospital decidiu parar os tratamentos e que morreu no dia 28 de Julho de 2017, os tribunais britânicos voltam a decidir sobre a vida de um bebé.

Isaiah Haastrup tem onze meses e sofre de deficiência profunda depois de ter ficado privado de oxigénio durante o parto. Os médicos do Hospital King’s College, em Londres, consideram que o bebé sofreu lesões neurológicas graves e que tem um nível de consciência muito reduzido

O menino não respira sozinho, está ligado a um ventilador desde que nasceu, e não se consegue movimentar. Os médicos consideram que o tratamento não está a surtir efeitos e que o bebé poderá estar a sentir dor.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais