Entrevista
Entrevista

Pedro Girão: "É um absurdo vacinar contra a Covid antes dos 16 anos"

Sandra Xavier 09 de outubro

O médico anestesista desaprova a vacinação de crianças contra o vírus SARS-CoV-2 e num artigo de opinião criticou a postura das autoridades de saúde e do Governo. Acabou por ser despublicado e sentiu-se “censurado”.

Não é antivacinas e reconhece que ajudaram a salvar milhões de vidas em todo o mundo. Mas em relação à Covid-19 o caso muda de figura, nomeadamente no que respeita a crianças e jovens. O nome do médico Pedro Girão tornou-se conhecido, em agosto, após um artigo de opinião seu ter sido publicado e “despublicado”, horas depois, pelo jornal Público. O médico questionava a administração de vacinas contra a Covid-19 em idade pediátrica, ou seja, até aos 16 anos. Acusa as autoridades de maquilharem as dúvidas quanto à eficácia da vacina e aos riscos para as crianças. Diz que “a fé não é ciência” e acusa muitos especialistas de só exprimirem convicções, crenças. “Limitei-me a chamar à atenção sobre um procedimento científico que, neste caso, não foi cumprido, e por isso estamos a correr riscos e corrê-los em adultos é diferente de em crianças.”

Tornou-se mediática a “despublicação” do seu artigo no Público. Sentiu-se censurado?
[pausa] Sim, a minha primeira reação foi sentir-me censurado.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
A Newsletter SÁBADO É TODOS OS DIAS no seu e-mail
NEWSLETTER EXCLUSIVA PARA ASSINANTES O resumo das notícias pela redação da SÁBADO, sempre ao início da manhã. (Enviada de segunda a sexta)