Campanhas publicitárias de prevenção da Sida pouco esclarecedoras

SÁBADO/Lusa 09 de junho de 2015

Estudo da Universidade de Aveiro analisou discurso de 81 campanhas realizadas em Portugal, Brasil, Angola e Moçambique e descobriu falhas de esclarecimento

A maioria das campanhas publicitárias de prevenção da Sida apresenta discursos pouco esclarecedores e promove até mensagens incorrectas, segundo um estudo da Universidade de Aveiro hoje divulgado. O estudo analisou o discurso de 81 campanhas realizadas em Portugal, Brasil, Angola e Moçambique, entre 2000 e 2010.

Em declarações à Lusa, a autora do estudo, Ana Frias, disse que "a maioria das campanhas esclarece pouco sobre o VIH/Sida enquanto infecção sexualmente transmissível, não especificando, por exemplo, modos de prevenção e as vias de transmissão". "Em muitas das campanhas surge apenas um logótipo que permite levar as pessoas a pensar que se está a abordar o VIH/Sida, mas a informação nem sempre é clara", diz a investigadora.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais