Professora morta e violada no dia em que foi raptada

CM 27 de dezembro de 2018

Polícia concluiu que Bernardo Montoya matou Laura e violou-a já depois de morta no mesmo dia em que a raptou em Espanha.

Por Francisco J. Gonçalves - Correio da Manhã

A polícia espanhola pensa que a professora Laura Luelmo, de 26 anos, foi assassinada e violada, já depois de morta, no dia em que foi raptada pelo homicida, Bernardo Montoya, de 55 anos, em El Campillo, Huelva.

Esta conclusão foi apresentada esta quarta-feira em conferência de Imprensa pelos responsáveis do caso, que detalharam ainda o perfil dum "homicida desorganizado", que atua movido por impulsos, sem planear os crimes e os álibis.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login